Introdução ao .Net Framework – Parte 4 – Conversão/Casting de tipos

E aí pessoal, tudo bom?

Começamos agora a quarta publicação da série Introdução ao .Net Framework. Nesse post falarei sobre conversão (casting) de tipos. Para quem ainda não leu as publicações anteriores recomendo que leiam, segue os links:

1 – Introdução ao .Net Framework – Parte 1 – Do que é composto, compialçao.

2 – Introdução ao .Net Framework – Parte 2 – CLR, CTS, FCL, CLS.

3 – Introdução ao .Net Framework – Parte 3 – Tipos.

INTRODUÇÃO

                Quando estamos desenvolvendo uma aplicação é muito comum que em algum momento surja a necessidade de transformar uma referência (variável ou objeto) de um tipo em outro tipo. No .Net essa transformação é  chamada de conversão ou casting.

 Conversão/Casting entre tipos

            Um dos recursos mais importantes do CLR é a sua segurança de tipos, o CLR sempre sabe de qual tipo é um objeto, para descobrirmos de qual tipo um objeto pertence podemos usar o método GetType(), este método retornará essa informação. O método GetType() é um método Public() do tipo System.Objetc. Veja na Figura 1 um exemplo do retorno do método GetType().

Figura 1           

Figura 1 – Usando o método GetType()

Vejam que na Figura 1 foi criada a classe Produto. Na classe Form1 foi criado o objeto Produto que está referenciando a classe Produto. Como sabemos disso em tempo de execução? Usando o método GetType()! A Figura 1 mostra a criação de uma variável do tipo string e nessa variável está sendo atribuído o retorno do tipo que o objeto Produto está referenciando. Está sendo usado um MessageBox para exibir esse retorno na tela. Repare que na atribuição está sendo usado outro método, o ToString(), esse método também pertence ao namespace System.Object e serve para realizar uma conversão implícita de tipos, transformando um tipo em string. Conversão explícita? Isso mesmo! Existem dois tipos de conversões, as explícitas e as implícitas.

Conversão implícita

Podemos usar conversão implícita quando queremos transformar um tipo em um de seus tipos base. Veja na Figura 2 um exemplo de conversão implícita.

Figura 2

Figura 2 – Conversão implícita

Na Figura 2 foi criada a classe Produto. No método Form1_load da classe Form1 declarada uma variável do tipo System.Object e nessa variável foi atribuída uma instância do tipo Produto. Isso é uma conversão/casting entre tipos, no momento que eu fiz isso o CLR entenderá que o objeto Obj é uma instância de Produto. O CLR permite conversão implícita somente quando considera que a conversão é segura. Como assim segura? É entendido como conversão segura quando o tipo ao qual o objeto será transformado é um tipo de sua base. Veja na Figura 3 o que acontece quando se tenta fazer uma conversão implícita considerada não segura.

figura 3

Figura 3 – Conversão implícita não segura

Na Figura 3 foram criadas as classes Produto e Empresa. No método Form1_Load da classe Form1 foi declarada uma variável do tipo Produto e sendo atribuída a essa variável uma instância da classe Empresa. Essa atribuição é considerada uma conversão implícita não segura e por isso a mensagem de erro foi apresentada. Para realizar conversões consideradas não seguras deve-se fazer isso explicitamente.

Conversão explícita

            O CLR não faz conversões não seguras implicitamente porque tais conversões podem falhar gerando erros em tempo de execução, mas, nesses casos é possível forçar a conversão. Vejamos um exemplo de conversão explícita na Figura 4.

figura 4

Figura 4 – Conversão explícita

Repare que duas conversões foram feitas na Figura 4, entretanto, na primeira foi gerado um erro. Porque? O tipo Produto deriva de System.Objetc, como foi dito anteriormente isso é considerado uma conversão não segura e por isso o CLR exige que essa conversão seja feita explicitamente. A Figura 4 mostra também um exemplo de conversão explícita onde o objeto Produto2 do tipo Produto recebe um (Produto) new Object();.

A conversão explícita é uma forma de fazer o compilador entender que se trata de uma conversão válida, mas, não quer dizer que essa conversão funcionará. Como assim? Bom, é simples, na conversão explícita mostrada na Figura 4 basicamente foi dito ao compilador “ei, esse object é do tipo Produto”, dessa forma o compilador aceitará e irá compilar perfeitamente. Veja na Figura 5 dois exemplos de conversões explícitas, sendo que um deles lançaria uma exception.

Figura 5

Figura 5 – Conversão explícita válida e não válida

Na Figura 5 foram criadas as classes Empresa e Produto. Na classe Form1 foi criado o método Teste(), que recebe um parâmetro do tipo object. No método Form1_Load da classe Form1 foi criada uma instância do tipo Produto. Após criada a instância do tipo Produto, foi chamado o método Teste() passando como parâmetro o objeto do tipo Produto. Como o método Teste() recebe como parâmetro um tipo object e System.Objetc é um tipo base do tipo Produto então o método aceita o objeto Produto. Dentro do método será executado uma conversão explícita transformando um tipo System.Objetct no tipo Produto. A conversão funcionará perfeitamente, pois, o tipo recebido por parâmetro foi do tipo Produto. Após feita a conversão a aplicação continuará e retornará para o método Form1_Load, executando a próxima linha criando uma instância da classe Empresa e chamando novamente o método Teste() , mas, passando como parâmetro o objeto Empresa do tipo Empresa. Como anteriormente, o método teste vai aceitar o parâmetro, pois, o tipo Empresa também deriva de System.Object. Na execução do método, quando o jit tentar compilar a conversão o CLR lançará uma exceção InvalidCastException, pois, houve uma tentativa de conversão não válida, sendo que, o tipo Empresa não é derivado e nem base do tipo Produto.

Aqui finalizo a quarta publicação da série introdução ao .Net Framework. Espero que tenha conseguido ser claro sobre o assunto tratado nesse post.

Fiquem a vontade para comentarem alguma dúvida, sugestão ou crítica.

Até o próximo post!

Referências

Conversão de tipos no .NET Frameworkhttp://msdn.microsoft.com/pt-br/library/98bbex99(v=vs.110).aspx

PROGRAMAÇÃO APLICADA COM MICROSOFT .NET FRAMEWORK – JEFFREY RICHTER

Anúncios

2 comentários sobre “Introdução ao .Net Framework – Parte 4 – Conversão/Casting de tipos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s